Universidades na Suíça e na Alemanha

Em regiões de língua alemã, uma universidade é definida como uma instituição superior que oferece a totalidade de todas as ciências – divididas nas faculdades clássicas: teologia, medicina, direito, ciências naturais, humanas e economia. Há também faculdades técnicas e pedagógicas. Normalmente, eles também concedem graus acadêmicos, mas apenas oferecem disciplinas específicas.

Na Alemanha, existem 106 universidades estaduais e 217 instituições técnicas. O acesso a essas faculdades é gratuito. Na Suíça, há doze universidades estaduais, incluindo os dois Institutos Federais Suíços de Tecnologia em Zurique e Lausanne, que ocupam uma posição bem alta nos rankings globais. Há também cerca de 20 escolas politécnicas. A taxa média semestral é de cerca de 900 francos. Em comparação com os EUA ou a Grã-Bretanha, os estudos universitários na Suíça e na Alemanha são de baixo custo, uma vez que as universidades estaduais são financiadas em grande parte com o dinheiro dos contribuintes.

No entanto, o custo de vida na Suíça é muito alto e, dependendo do local de estudo e das necessidades pessoais, é entre 20.000 e 30.000 francos por ano. O custo de vida da Alemanha é cerca de um terço menor. Porém, a Suíça concede bolsas de estudo a estudantes estrangeiros por meio da Comissão de Bolsas Federais Suíças para Estudantes Estrangeiros (ESKAS).

O ano letivo é composto por dois semestres (semestre de inverno e de verão). No meio dos dois, há o período sem conferências, no qual os trabalhos científicos são elaborados e as provas são preparadas e realizadas, ou férias.

Os cursos na Alemanha e na Suíça foram adaptados conforme o objetivo de alcançar o novo grau de mestre e bacharelado definido na “Reforma de Bolonha” de harmonização universitária pan-europeia. Em toda a Europa, 45 países aderiram a este processo. Uma consequência do “Processo de Bolonha” é que os graduados ficam cada vez mais jovens e seus períodos de formação são significativamente mais curtos.

Geralmente, a condição básica para a inscrição é a chamada “qualificação de ingresso na universidade”. Isso é indicado pela comprovação com a qual estrangeiros poderiam estudar na universidade em seu país de origem, e a qual corresponde ao diploma suíço “Matura” e ao diploma alemão “Abitur”. As próprias universidades decidem quais diplomas de quais países eles aceitam. Alguns cursos (Medicina na Alemanha e Suíça, bem como Farmácia, Medicina Veterinária e Odontologia na Alemanha) têm uma restrição geral de admissão (numerus clausus).

Alunos que não vem da EU / EFTA (países terceiros) devem incluir no pedido um planejamento de curso com a indicação do objetivo de formação (matura, bacharelato, mestrado, etc.). Além disso, o aluno precisa de uma confirmação da instituição por escrito que pode assistir às aulas e tem os conhecimentos necessários de idioma.

Os formandos do Colégio Suíço-Brasileiro de Curitiba recebem o Diploma IB. Este diploma corresponde basicamente a um diploma do Ensino Médio (Abitur) ou a um “Matura”. As universidades e faculdades na Suíça e na Alemanha determinam, em cada caso individual, quantos pontos os alunos devem obter no Diploma do IB e qual combinação de matérias eles precisam escolher para obter acesso à universidade ou instituto superior.

Outros links:

Estudos na Suíça:

– https://www.swissuniversities.ch/de/hochschulraum/studieren/studieren-in-der-schweiz/

Estudos na Alemanha:

– https://www.study-in.de/pp_studyinde/de/studium-planen/bewerbung_27435.php

Classificação das universidades:

– https://www.timeshighereducation.com/world-university-rankings

Posted in: